mardi 26 avril 2011

FRANCISCO DE ASSIS POR LE GOFF

FRANCISCO DE ASSIS POR LE GOFF

“Em SÃO FRANCISCO DE ASSIS, Jacques Le Goff - considerado um dos dez mais importantes historiadores do século XX - disseca, através de quatro ensaios, o que considera o primeiro santo moderno da Igreja Católica. Ecologista na sua fascinação pela natureza, anticonsumista na radical opção pela simplicidade, defensor da liberdade de espírito, da alegria, da vida comunitária, foi um feminista de primeira hora na relação com Santa Clara e à ordem das clarissas.
Francesco di Pietro di Bernardone, filho de comerciantes italianos da cidade de Assis, mudou não só o conceito de santidade e devoção, mas a atitude da Igreja e dos leigos diante do sagrado na virada do século XII para o século XIII. São Francisco foi, principalmente, produto de três fenômenos histórico-sociais italianos: a luta de classes, a ascensão dos leigos e o progresso da economia monetária".















SÃO FRANCISCO DE ASSIS é uma viagem através da vida de um dos mais impressionantes e justos homens da história medieval. Mas Le Goff não só apresenta a história de Francisco, como também a situa em seu tempo. Analisando a geografia, a religião e até mesmo a política da época, Le Goff contextualiza São Francisco de Assis e revela mais da personalidade que revolucionou o clero do século XIII.
Canonizado em 1228, Francisco rompeu com a juventude rica para devotar-se a Deus e à natureza. Fundou a ordem dos franciscanos e viveu na pobreza até sua morte.
Para escrever a biografia de São Francisco, além do trabalho habitual de pesquisa, o autor precisou estudar a autenticidade das crenças, mergulhando na documentação de época. Autor de São Luís - um retrato literário do rei e santo cristão -, o medievalista Jacques Le Goff soube com precisão buscar a figura real do biografado, obscurecida pelos relatos de seus supostos milagres.











Em SÃO FRANCISCO DE ASSIS, Le Goff, com extrema erudição e fluidez de estilo, desvendou o homem por trás do santo. O livro conta a verdade sobre o fundador da ordem franciscana, um homem que recebeu os estigmas das chagas de Cristo e, antes de morrer, compôs o Cântico do sol, uma das mais belas obras poéticas do universo cristão. (...)
(...) Le Goff se interroga longamente para concluir que ''se São Francisco foi moderno é porque seu século o foi''."
(Fonte: www.record.com.br)

Aucun commentaire:

Publier un commentaire